• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Instalador é detido por venda ilegal de internet em Praia Grande

Após uma denúncia, policiais da Delegacia Sede de Praia Grande detiveram um instalador de uma empresa de telecomunicações sob a acusação de vender clandestinamente “pacotes de internet” para moradores do Jardim Anhanguera. Na ação, na última sexta-feira (6), os policiais encontraram na casa do acusado, no bairro Quietude, uma central de distribuição de sinal para cerca de 60 pessoas do bairro vizinho.
O homem, de 35 anos, foi abordado pelos investigadores no início da tarde, quando estava em uma escada, junto a um poste, realizando a passagem de fios de rede na esquina da Rua Cipriano Luis dos Santos com a Avenida Ana de Carvalho Cruz Mourão. Ao descer e ser questionado sobre a distribuição clandestina de internet, ele admitiu o esquema aos policiais Alex Brancolin Silva e Carlos Alberto Rocha Rodrigues.
O acusado afirmou que contrata o serviço para sua residência na modalidade de 100 mega e por meio de equipamentos especializados distribui o sinal por meio de cabos.
Diante das informações, os policiais, sob o comando do investigador-chefe, Alexandre Ventura, e do delegado titular, Carlos Henrique Fogolin de Souza, se deslocaram à moradia do acusado, na parte superior de um sobrado na Rua Francisco Conrado dos Santos,  e apreenderam diversos cabos, um roteador específico para a distribuição de sinal e outros materiais. Duas antenas na parte externa foram encontradas, mas não foram recolhidas na sexta-feira pela falta de meios.

Áudios

Os investigadores descobriram áudios em que o acusado oferece os serviços. “Molezinha, ó. A taxa de instalação está R$ 250,00, a gente leva o cabo lá dentro, põe um roteador para você, deixa funcionando na sua casa. Eu tenho 2 mega por R$ 50,00 (mensais), 3 mega por R$ 60,00, 4 por R$ 70,00, 5 mega está R$ 80,00, 8 mega está R$ 100,00 e 10 mega está R$ 130,00″. Aí é você que escolhe o pacote”, diz o instalador.

Fiança

O homem foi autuado pelo crime de desenvolver clandestinamente atividades de telecomunicação e foi solto após pagar fiança de R$ 1 mil. Ele seguirá respondendo pelo delito e a pena de detenção varia de 2 a 4 anos.

 

Postagem original. Data original: 09-04-2018

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se