• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Justiça do Equador transmite à Interpol ordem de prisão do ex-presidente Rafael Correa

A Justiça do Equador pediu na noite da terça-feira (3) a prisão preventiva do ex-presidente Rafael Correa, acusado de envolvimento no sequestro de um ex-deputado da oposição em 2012 na Colômbia. Um pedido de captura será enviado à Interpol, já que Correa vive na Bélgica. A juíza Daniella Camacho, da Corte Nacional de Justiça (CNJ), acolheu, assim, um pedido feito horas antes pela Procuradoria-Geral do Equador para que o ex-presidente seja detido. Os advogados de Fernando Balda, o ex-parlamentar sequestrado, deram apoio à ordem de prisão. Segundo informou a procuradoria, Camacho “ordenou a prisão preventiva contra o ex-presidente Rafael Correa por sua suposta participação nos crimes de associação ilícita e sequestro”. “Ela enviará um ofício à Interpol para a captura com fins de extradição”, acrescenta o órgão.

A decisão veio após Correa ter descumprido a ordem cautelar, determinada pelo próprio CNJ, de se apresentar à Justiça em Quito a cada 15 dias a partir de 2 de julho, após ter sido formalmente acusado de envolvimento no crime em 18 de junho. O ex-presidente deveria ter ido à corte nesta segunda-feira, mas não compareceu. Em vez disso, foi ao consulado equatoriano em Bruxelas, onde uma nota de comparecimento foi assinada pelo vice-cônsul, Bernardo Burgos. A defesa chegou a apresentar documentos para comprovar que ele mora na Bélgica, país de sua esposa, e pediu, como alternativa, que ele pudesse se apresentar ao consulado na capital belga. Camacho negou o pedido, justificando que a representação diplomática é inadequada para o cumprimento da ordem cautelar. Caupolicán Ochoa, advogado do ex-presidente, classificou a ordem de prisão preventiva emitida pela juíza de “perseguição política” e adiantou que vai recorrer da decisão. Correa, por sua vez, afirmou que está sendo acusado “sem provas”.

“Sabem quão bem-sucedida será essa farsa a nível internacional? Não se preocupem, tudo é questão de tempo. Nós venceremos”, afirmou o político em mensagens no Twitter nesta terça-feira. Segundo ele, a Justiça do Equador tentará “humilhá-lo e fazê-lo passar por maus bocados, mas uma monstruosidade como essa jamais prosperará num Estado de Direito como a Bélgica”.

O ex-deputado Fernanda Balda foi sequestrado por um grupo de criminosos colombianos em Bogotá em 2012, chegando a ficar algumas horas retido. Ele foi libertado com a ajuda da polícia, que se baseou em denúncias de taxistas que testemunharam o rapto. Os autores do crime, detidos e julgados na Colômbia, delataram que agentes equatorianos da Secretaria Nacional de Inteligência (Senain), órgão que responde à presidência do Equador, participaram do sequestro. Balda, que havia feito denúncias de corrupção no governo Correa (2007-2017), acusa o ex-presidente de ser o mentor intelectual do crime.

Postagem original. Data: 04-07-2018

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se