• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Marido de jovem que teve braço arrancado por bote fala pela 1ª vez: ‘Pesadelo’

O metalúrgico Leandro Lougan, de 36 anos, marido de Thais Souza Machado, de 26, que perdeu o braço direto ao ser atropelada por um bote na Praia da Enseada, em Guarujá, falou pela primeira vez sobre o acidente e relatou os momentos de desespero que viveu junto à esposa. Ele afirma que a embarcação estava em alta velocidade e que o condutor não olhava para frente. A Marinha investiga o caso. O acidente ocorreu no domingo (1º), no Canto do Tortuga, área de lanchas e motos aquáticas.

Thais e o marido, que são de Campinas (SP), estavam em uma prancha de stand-up quando foram atingidos pelo bote ‘Os Alemão III’, que rebocava uma boia conhecida como banana-boat, usada para transporte de passageiros. O membro foi amputado na hora.

“Eu tenho 1,80m [de altura] e não é possível que o piloto não tenha me visto, por isso eu acredito que ele não olhava para frente. Eu estava em pé, enquanto ela estava sentada à minha frente. O bote veio pela nossa direita e só deu tempo de falar para pular”, diz Lougan.

Ambos estavam no último dia na praia, onde chegaram na quinta-feira anterior. “Fomos com casais de amigos para aproveitar. Alugamos a prancha e a usamos nos dias anteriores. O bote estava muito rápido. Quando ele passou por nós, a Thais gritou que não estava sentindo mais o braço. Foi desesperador”, relata. Os tripulantes do bote retornaram depois do pedido de ajuda de Leandro. “Mas eles ficaram muito nervosos. Um deles gritava que o outro tinha habilitação. Depois, um pulou na água e ajudou a gente a levá-la para a areia. Eu peguei dois panos e amarrei no braço dela. Era muito sangue”. Thais foi levada para o Hospital Santo Amaro, onde foi submetida a cirurgia de emergência. “Depois que ela acordou, disse que achava que era um sonho. Foi um pesadelo para a gente. Não desejo a ninguém o que estamos passando”.

Na noite de terça-feira (3), ela passou por novo procedimento cirúrgico. Ainda não há previsão para a alta médica ou transferência para Campinas, onde o casal vive. Enquanto isso, a Marinha do Brasil e a Polícia Civil investigam as causas e responsabilidades do acidente. A embarcação está apreendida em uma guardaria em Guarujá. O condutor não foi preso. O acidente ocorreu em meio a outros banhistas.

Segundo informações do sargento Farias, do Grupamento de Bombeiros Marítimo (GBMar), a jovem estava com o marido, fora da área de arrebentação das ondas, quando ambos foram surpreendidos pelo barco, que rebocava a boia amarela com passageiros. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Emergência (Samu) a encaminhou até o hospital. A unidade de saúde confirmou a amputação do braço direito, que não pode ser reimplantado, já que o membro não foi localizado pelos bombeiros. Por meio de nota, a Banana da Enseada afirma que lamenta o acidente envolvendo uma das embarcações da empresa. “Estamos acompanhando o atendimento médico da vítima e disponibilizando toda informação que for solicitada pelas autoridades responsáveis, incluindo o depoimento do marinheiro”, declarou.

Postagem original. Data original: 04-04-2018

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se