• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Montanha de ossos humanos assusta visitantes no cemitério do Centro em Itanhaém

Dezenas de sacos com ossos humanos foram encontrados abandonados, em diferentes alamedas, por visitantes do cemitério de Itanhaém. Um vídeo mostra a situação do local. Em outras imagens, fragmentos podem ser vistos espalhados pelo chão. A prefeitura da cidade afirma que o procedimento é normal. As imagens, que também viralizaram nas redes sociais, foram gravadas no fim da tarde de quarta-feira (13), na unidade localizada no Centro.

O açougueiro Élcio Fontes, de 36 anos, estava no local para conseguir um túmulo para sepultar o irmão, morto um dia antes. Porém, chegando lá, não encontrou o administrador do cemitério. “Queríamos que ele ficasse em um cemitério próximo, onde minha mãe está enterrada. Como não tinha ninguém, fomos andar para ver onde havia túmulo vago para poder colocar o corpo do meu irmão. Acabamos vendo um cemitério abandonado e, também, os sacos com os ossos espalhados por várias áreas diferentes”, conta. Fontes explica que havia mais sacos do que os vistos no vídeo. “Tinha muito mais, pois havia um quartinho com outras dezenas de sacos”, conta.

Segundo ele, no momento em que estava no equipamento, outra pessoa chegou para visitar o ossário da avó. Vários fragmentos de ossos também foram encontrados espalhados pelo chão do local. “Ela estava naquele corredor, mas ele não conseguiu ver o que queria, pois a montanha de sacos impedia a chegada até lá. Ele ficou indignado com a situação”, explica.

Fontes conta que inicialmente ficou curioso para saber do que se tratavam os sacos, e assim que percebeu os ossos, iniciou a filmagem. “Pensei que isso não poderia ficar assim. É um descaso total. A cidade não cuida direito nem dos doentes, e agora, sequer tem cuidado com os mortos. Quem está ali de fora só vê como osso. Mas ali tem sentimento. É a matéria do ente querido”, desabafa. Fontes também fez imagens de fragmentos de ossos espalhados pelo chão. Segundo ele, poucos eram os sacos que tinham identificação. “Há ossos e sacos abertos no chão, expostos à chuva. Se essa água tiver passado por algum osso com resíduo em decomposição, pode estar contaminada”, explica. A Prefeitura de Itanhaém afirmou que não há irregularidades nos cemitérios da cidade, e que os sacos nas imagens são referentes a corpos exumados após cinco anos do sepultamento. Eles ficam no aguardo de familiares para a correta destinação aos ossários particulares. A administração reitera que caso não haja interesse da família, a Prefeitura deve enviar para a cremação, e que todo o resíduo está devidamente separado e identificado em uma sala reservada para a posterior destinação.

Postagem original. Data original: 14-06-2018

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se