• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Obras contra enchentes começam na entrada de Santos

Com a promessa de diminuir as enchentes nas proximidades da entrada de Santos e dar sossego a moradores e comerciantes da Vila Haddad, a Prefeitura iniciou nesta segunda-feira (4) as obras de ampliação de uma galeria de águas pluviais e a implantação de uma nova rede de drenagem, com tubos de 1,2 metro de diâmetro. Os trabalhos serão executados na Rua Ana Santos, que fica entre a Margem Direita da Via Anchieta e a Rua Álvaro Parente. As primeiras ações serão de verificação técnica e serviços de topografia. O prazo para conclusão das obras é de 140 dias.

O que muda

Por causa disso tudo, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos) inverterá a mão de direção da Rua Afonsina Proost de Souza a partir desta segunda, entre as Ruas Ary Barroso e Monsenhor João Martins Ladeira. Para garantir a segurança dos pais e das crianças que passam pela Rua Ana Santos para chegar à Escola Oswaldo Justo, placas metálicas de 2,1 metros de altura serão instaladas no entorno do canteiro, separando as obras da passagem dos pedestres.

Os trabalhos da Prefeitura afetarão os usuários do transporte público. A linha municipal 101 e as intermunicipais que, a partir da Marginal da Via Anchieta, entram à direita na Rua Ana Santos passarão a seguir pela Via Anchieta até a Av. Nossa Senhora de Fátima, prosseguindo pelas vias Ary Barroso, Monsenhor João Martins Lacerda e Ana Santos. A partir daí, seguirão o itinerário habitual.

Ânimo e desconfiança

Moradores e comerciantes da Vila Haddad vivem um misto de sentimentos. Sonhando com o fim dos alagamentos, contam as horas para o início das obras. Porém, têm receio de que a intervenção seja apenas mais uma de tantas outras já realizadas e que nada resolveram. “Nesse período serei prejudicado, porque os caminhoneiros não chegarão até meu restaurante. Mas, se realmente as enchentes acabarem, tudo bem”, diz o comerciante Luiz Diego, de 32 anos, cujo estabelecimento fica na esquina das ruas Ana Santos e Monsenhor João Martins Ladeira. Outra desconfiada é a dona de casa Eliane Andrade, de 41 anos. “Os alagamentos são um problema há mais de 40 anos e não acredito na solução. Toda vez que a Prefeitura aparece aqui, diz que vai resolver. Já troquei sofá e vários móveis por causa da água que entra em casa”.

Postagem original. Data: 04-06-2018

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se








Pergunta do Dia:

Quem deve tomar vacina?