• Responda à pergunta do dia e concorra a prêmios - Clique Aqui

Troca de tiros deixa um morto em Cubatão

Wellington Barbosa de Lima, de 27 anos, foi morto com um tiro no peito, no final da tarde de terça-feira (03), na Vila dos Pescadores, em Cubatão. A principal hipótese é a de que ele tenha sido atingido na troca de disparos durante confronto travado entre dois policiais militares e um marginal que fugiu sem ser identificado.A vítima chegou a ser levada ao Pronto-Socorro Central de Cubatão, onde faleceu. Por enquanto, não há testemunhas ou maiores informações do homicídio. Sabe-se apenas que Wellington estaria no Beco São Jorge quando foi baleado.

O jovem morava com a mulher na Vila dos Pescadores. Na ocasião, dois policiais da 4ª Companhia do 21º BPM/I realizavam operação naquela comunidade para reprimir o tráfico de drogas. Segundo eles, três suspeitos os viram e começaram a correr. Porém, um dos acusados se rendeu logo após receber a ordem de parada, deitando-se no chão. Este suspeito tem apenas 15 anos e portava um rádio de comunicação, do tipo que é comumente utilizado em pontos de tráfico. O segundo carregava uma mochila e fugiu. O terceiro atirou na direção dos PMs, sem acertá-los, e também conseguiu escapar.

Os policiais portavam uma pistola calibre .40 e uma carabina e as utilizaram para revidar os disparos. Posteriormente, sem saber se conseguiram atingir o marginal que atirou, os PMs conduziram o adolescente à Delegacia de Cubatão, onde apresentaram o rádio de comunicação apreendido. Esta ocorrência era registrada no momento em que surgiu a notícia da entrada no PS Central de um baleado oriundo da Vila dos Pescadores. Os policiais se dirigiram ao pronto-socorro e não reconheceram Wellington como quem disparou na direção deles. O adolescente, por sua vez, negou estar com o rádio de comunicação, alegando que ia jogar bola debaixo de um viaduto existente nas imediações. Sobre os dois rapazes que fugiram correndo, o garoto afirmou não conhecê-los. Ele foi liberado para a mãe.

Ao registrar o caso, o delegado Francisco José Morgado Lanfredi considerou que “há controvérsias nas versões dos valorosos policiais militares e do adolescente averiguado”, acrescentando que elas deverão ser “objeto de apuração detalhada”. As armas dos PMs foram apreendidas e perícia irá apurar se de alguma delas saiu o tiro que atingiu a vítima.

Passagens

No sistema do Registro Digital de Ocorrência (RDO), da Polícia Civil, consta que Wellington foi detido três vezes, em Cubatão. Na primeira, em 4 de novembro de 2012, ele portava cinco cartões bancários de outra pessoa e uma réplica de arma de fogo. O jovem não ficou preso. Em 5 de setembro de 2013, policiais militares o surpreenderam no Jardim 31 de Março com duas cápsulas de cocaína e três pedras de crack. O jovem disse que os entorpecentes eram para o próprio consumo, sendo liberado após a elaboração de termo circunstanciado (TC) de porte de droga. Ainda em 2013, no dia 26 de dezembro, Wellington estava em atitude suspeita na Avenida Brasil, no Casqueiro. Policiais militares encontraram com ele outra réplica de arma de fogo e uma chave falsa. Os objetos ficaram apreendidos, sendo o rapaz liberado após o registro da ocorrência.

Postagem original Data: 04-10-2017

Artigo AnteriorPróximo Artigo

Entrar






Cadastre-se
Esqueceu sua senha?

Cadastre-se